Pastor José Britto Barros, o ANDARILHO

abril 4, 2010

Salmo de exaltação da Páscoa Cristã

Filed under: Poesias — pastorjosebrittobarros @ 10:08 PM
SALMO DE EXALTAÇÃO DA PÁSCOA CRISTÃ
Cantam todos os povos redimidos
E canta também a natureza inteira!
Cantam aves canoras delicadas
E pássaros da mais linda plumagem!
Roseirais de Jericó, Rosas de Sarom,
Enchei de vosso doce aroma
Os recantos celestes!
Ervas perfumadas das colinas do Carmelo
E dos montes de Sião,
Lírios dos profundos vales
Do Cedrom e do Jaboque,
Plenai de vossos odores mais puros
Os alcantis altivos e as serras altaneiras
De vossas plagas históricas!
Açucenas gentis de Zebulom
E violetas singelas
Das margens floridas do Jordão em festa,
Prados e campinas e vergéis
Alfombrados de variegadas flores,
Perfumai todos os caminhos,
Envolvei com vossas essências e fragrâncias
As oliveiras antigas dos jardins e hortos,
Subi até os verdes leques
Das altivas palmeiras de Jerusalém,
Uni-vos todos –
Perfumes e cantos da primavera -Para exaltar o Sol da Justiça
Esplendoroso e lindo
Que já despontou do túmulo
E surgiu deslumbrante,
Trazendo Salvação debaixo de suas asas
Como já dissera o profeta Malaquias!

Favônios cantantes e amenas aragens,
Brisas gentis e virações serenas
Levai a todos os cantos e recantos da terra
Os suaves odores da divina presença
Do Cristo ressurreto que dará vida
A quantos dele estejam carecentes!
Vibrai, ó povos dantes consternados
Pela morte cruel do suave Rabi da Galiléia!
Exultai vós todos seguidores do Cristo
Té então chorosos por sua amarga despedida!
Explodi em cantos e louvores
Vós todos que na sexta-feira
Cantastes as endechas dolentes
E os funéreos hinos,
Cantai agora alegremente
Aleluias e hosanas aos milhares
Pois vivo e majestoso, excelso e sublime,
Supremo e Todo-Poderoso
Já está entre vós
O CRISTO IMORTAL DOS SÉCULOS!

Esta é a música empolgante
Da ressurreição vitoriosa do Senhor!
Esta é a canção grandíloqua e vibrante
Dos contritos seguidores do Cristo!
Esta é a sinfonia magistral
De todos aqueles que crêem em Jesus!
Esta é a verdadeira cantata da Páscoa
Que celebra o Cristo, Cordeiro de Deus
Que tirou o pecado do mundo
E agora está assentado no meio do trono!
Este é o Oratório maior bem posto acima
De todas as produções musicais do ser humano.
Maior que o Messias de Haendel,
Maior que as Cantatas de Bach,
Maior que as Sinfonias de Beethoven,
Maior que as solenes Missas de Mozart!
Esta é a música celeste
Vibrando sobre a terra triste
Para espancar o tédio,
Desfazer as tristezas, lenir as dores,
Estancar os prantos
E criar em cada um de nós,
Os servos do Senhor ressuscitado,
As aleluias e hosanas da ressurreição
E as gloriosas esperanças da vida eterna
Ao lado daquele que venceu a morte
E agora vive e reina
Para sempre, e sempre, e sempre!
Aleluia! Aleluia! J E S U S  R E S S U S C I T O U!

Anúncios

março 8, 2010

Dia Internacional da Mulher

Filed under: Poesias — pastorjosebrittobarros @ 7:12 PM

Salve o dia internacional  da mulher!

 

Homenagem do pastor José Britto Barros

A RAINHA DE SABÁ

JESUS  CITOU  ESTA  MULHER  FAMOSA
QUE QUIS OUVIR DE SALOMÃO O ENSINO.
NÃO   ERA   APENAS   UMA   CURIOSA,
QUERIA  CONHECER  O  DOM  DIVINO.
E  TAL  CONVERSA  FOI  MARAVILHOSA
E CONSEGUIU EQUILIBRAR-LHE O TINO,
VOLTOU  ELA  FELIZ, E  ASSAZ  DITOSA
POIS QUE AGORA TINHA OUTRO DESTINO!
MULHERES TAIS DE DEUS INDO A PROCURA
PODEM   ACHAR   A   DIVINAL   VENTURA
DE  RECEBER  DO  PAI  GRAÇA  E  PERDÃO!
IMITAI-A,  MULHERES  DE  HOJE  EM  DIA,
E ASSIM TEREIS O AMOR QUE ELE IRRADIA
NA  GRANDEZA  DA  ETERNA  SALVAÇÃO! 

 São Luís, 8 de março de 2010 

janeiro 22, 2010

Por Ti, Darei Minha Vida

Filed under: Poesias — pastorjosebrittobarros @ 9:57 PM
POR TI, DAREI MINHA VIDA
 “Cristo será, tanto agora como sempre, engrandecido no meu corpo, seja pela vida, seja pela morte”. Filipenses 1.20b
O grande pregador estava prisioneiro.
Paulo fora o maior dos santos; mensageiro
da causa do senhor, ativo e extraordinário
pregando destemido o Cristo do calvário!
Agora vem parar na prisão horrorosa…
mas ali manteria a missão grandiosa!
em filipos fundaria a igreja mais querida
de todo o ministrar de sua intensa vida.
Envia aos seus irmãos tão queridos e amados
instruções de valor ; seriam confortados.
o líder magistral, pregador excelente,
mesmo estando em prisão mantinha o zelo ardente.
Acaso acabaria ali o ministério
daquele que explicara o divino mistério
a nova lhes trazendo de paz, salvação?
Era triste demais aquela expectativa:
a causa do senhor, da palavra tão viva,
iria ter seu fim naquela frustração?
Escreve-lhes então o idoso pregador
e manda-lhes dizer com firmeza e vigor:
eu tenho dentro d´alma a bendita certeza
que seja como for, em meu corpo abatido
jesus, o meu senhor, será engrandecido
no viver ou morrer da minha natureza!
Por Cristo, meus irmãos, de forma definida
eu sempre irei gastar, inteira, a minha vida!
Não há retroceder, o meu amor não cansa
e mantenho no meu ser esta viva esperança
de ser gasto na causa e sem ter restrições.
aqui nesta prisão, ou livre como outrora,
em dias do futuro, ou mesmo como agora,
a cristo eu vou honrar até nestas prisões!
De Paulo foi assim a vida consagrada.
e de nós, que hoje vamos na mesma jornada,
de que grau temos feito a nossa sagração?
somos servos leais ao cristo sublimado
ou temos restrições ao seu santo chamado
mui pouco demostrando ter consagração?
O Paulo do passado entregou sua vida
de forma declarada, firme e decidida
e todo o seu vigor consagrando ao senhor.
e eu, o que é estou fazendo nestes dias?
gastando o meu viver e as minhas energias
em coisas sempre vãs, de somenos valor?
Ah! Mestre, amado meu, remido eu pela graça,
constrangido do amor infindo e que não passa,
minha vida, meu tudo eu venho te entregar,
onde quer que me leves tu no ministério
desvendarei aos homens o maior mistério
até que a minha vida venha a terminar!
Quero agora exclamar alegre e firmemente:
no hoje ou no porvir, no que vem pela frente,
por ti darei a vida plena, ó meu Senhor!
recebe, amado meu, aceita o que te oferto,
por muitos anos seja, ou se a morte vem perto,
meu ser em sagração inteira ao teu louvor!
A ti eu seguirei, Senhor, te engrandecendo,
em intenso viver ou mesmo que eu morrendo
por ti me entregarei, e de forma total!
nada mais me motiva em a minha existência,
disto eu tenho, ó senhor, inteira consciência:
eu vou te engrandecer de agora até o final!

Prelúdio

Filed under: Poesias — pastorjosebrittobarros @ 9:55 PM

PRELÚDIO

Memórias…
Será que acaso não cantei-as nunca?
Será que acaso as olvidei, e só?
Pois bem,
Irei fazê-las ressurgir do pó!

Memórias…
Quem deve ser o herói dos versos meus?
Quem decantar eu devo, à viva voz?
São tantos…sim, há nobres e plebeus…

Memórias…de que vulto hei de ocupar-me?
Mulheres há que foram valorosas,
E outras há que foram lindas rosas…

Mas, afinal, que devo eu decantar?
Será um império de infernal poder?
Será um povo, uma nação, um ser?
Qual o tema em que devo me ocupar?

Memórias…sim, já escolhi ao certo!
Não um reino qualquer, de longe ou perto,
Mas um reino que nunca findará!
Ou melhor,
Aquele Rei supremo e poderoso,
O Nazareno terno e generoso,
Cuja influência nunca passará!

Memórias tuas, desde a estrebaria
Até tua volta em fulgurante dia!
Nazareno Jesus, teus feitos digo
Porque o mundo sem ti sofre perigo!

Nazareno Jesus, eu te decanto
Porque do peito meu tiraste o pranto!
Nazareno Jesus, eu te enalteço
Porque da Redenção pagaste o preço!

Nazareno Jesus, oh! eu quisera
Cantar neste poema a primavera
Que a luz do teu amor veio trazer!
Primavera de flores eternais,
Primavera de encantos divinais,
Que findam desta vida o vil sofrer!

Nazareno Jesus, tu és doçura,
Nazareno Jesus, tu és ternura
Para um qualquer que venha a te aceitar!
Tua vida inteira foi um benefício
E mesmo em dores do mortal suplício
Teu perdão nos quiseste oferendar!

Aceita o meu rimar, são teus meus cantos,
Os versos declamados mesmo em prantos
Escritos para ti com devoção,
São vibrações desta alma agradecida,
Por ter em ti a exuberante vida.

Elos de Amor

Filed under: Poesias — pastorjosebrittobarros @ 7:20 PM

E   L   O   S    D E    A  M  O  R

              (Autor desconhecido)

Muito longe daqui, nas costas da Bretanha,

Poético país que mar sinistro banha,

Vivia, há muito tempo, um pobre pescador

Que se chamava Amel, com sua mulher Penor.

Tinham els um filho, uma criança loura,

Um anjo que o porvir dos pais enflora e doura.

Ao voltarem à casa alegres, todos três

Na praia os surpreende a noite de uma vez.

Subia o mar veloz, medonho, ingente, forte!

Nesse tempo as marés eram vivas. A morte

Sobre as vagas boiava indômita e cruel!

Olhando para a esposa assim lhe disse Amel:

Penor, vamos morrer! A vaga se aproxima!

Viverás mais que eu! Ânimo! Sobe acima

Dos ombros meus, mulher! Pousa-te bem, assim!

E ao me vires sumir… querida, lembra-te de mim.

Penor obedeceu.  Firmando-se na areia      

Desaparece Amel na onda que o rodeia…

Amel – bradava a esposa – aí pobre esposo meu!

Qual de nós sofre mais?  Tu, que morres, ou eu

Que te vejo morrer?  E a vaga que crescia

O corpo do infeliz no vórtice envolvia.

Então olhando para o filho assim lhe disse a mãe:

Filho, vamos morrer! Olha a maré que vem!

Viverás mais que eu! Vá, filho vá, coragem!

Sobe aos ombros meus, sobe! E ao tragar-me a voragem

Lembra-te de mim e do teu pobre pai!

E o mar a submergiu. Chora a criança e vai

Pouco a pouco a afundar-se. À flor da água revolta

Apenas já flutua a trança loura e solta…

Nesse instante, porém, passou por sobre o enfurecido mar

Uma fada que viu  esse cabelo assim a flutuar.

E estende sua mão piedosa e boa e  segurando a trança

Com ela atrai a si a pálida criança.

E sorrindo dizia: Ai, que pesada que és!

Mas viu logo a razão! Ainda segura aos pés

Do filho estremecido a pobre mãe começa

A erguer da imensa onda sua molhada cabeça…

Sorriu a boa fada ao ver assim os dois

E pasmada falou: Ah! que pesados que sois!  

É que após a mulher erguia-se o marido

Estreitamente aos pés da sua esposa unido.

Ao vê-lo  inda outra vez a meiga fada riu

E leve para a praia o vôo dirigiu levando nas suas mãos

AQUELE CACHO VIVO, ESSA HUMANA CADEIA

CUJOS OS ELOS DO AMOR TÃO FORTEMENTE ENLEIA!

janeiro 21, 2010

Ele deu a Sua Vida por Nós

Filed under: Poesias — pastorjosebrittobarros @ 5:21 PM

ELE DEU A SUA VIDA POR NÓS
E nisto conhecemos o amor, que Jesus deu a sua vida por nós.
(I João 3. 16)

“Porque somos estrangeiros diante de Vós, e peregrinos, como todos os nossos pais ” I Crônicas 29:15

Ele deu a sua vida por nós…                                      

E nós, o que damos por Ele?
Paremos a pensar…
Por nós Jesus deu a sua vida …
Vida completa, inteirinha, total…
Vida sem mácula , perfeita , santa , justa e dadivosa …
E nós, que vida é que vivemos para Ele ?

Ele deu a sua vida por nós…
O seu grandioso amor sem par,
Amor perdoador, intenso, permanente ,
Amor redentivo, singular , transformador…
E nós, que de amor mostramos a Jesus?

Ele deu a vida por nós…
Sua capacidade intercessora,
Sua misericordiosa graça salvadora,
A perfeita compreensão dos nossos males…

Ele deu a vida por nós…
Suas virtudes positivas, os seus atos de amor,
As suas palavras eternais…
E nós, o que lhe damos?

Ele deu a vida por nós…
Aquelas mãos divinas,
Benfazejas mãos que tocaram leprosos,
Mãos que descerraram o véu de pobres cegos
Fazendo-os mirar as belezas da luz…
Mãos que repousaram sobre os aleijados,
Mãos que serenaram vagas e escarcéus,
Mãos que por amor fizeram cessar prantos,
Mãos que abençoaram crianças descalças,
Meninos sem ninguém e filhos prediletos…
Mãos que multiplicaram os pães e os peixes,
Mãos que tocaram mortos, trazendo-os à vida….
Mãos, aquelas mãos pregadas no Madeiro,
Levantadas assim entre a terra e o céu
Para unirem o pobre pecador
Ao Deus supremo e forte…

Mãos feridas, tocadas por Tomé
Para desfazer a incredulidade.
As mãos da doce paz que podemos fruir…
Ele deu essas mãos tão santas e tão puras
Para lenir nossas dores
E suavizar da vida os nossos dissabores…
E nós… que lhe damos então?
Ele deu a vida por nós…
Os olhos de bondade capazes de mirar
Os campos branqueados para a ceifa…
Olhos de ternura que viram multidões abandonadas,
Ovelhas sem pastor, perdidas, maltratadas…

Olhos que miraram a dor dos infelizes
Oferecendo-lhes a suavidade dos cuidados
E o doce lenitivo do amor…
Olhos que invadiram a alma e penetraram o coração,
Ora compungindo e repreendendo,
Como o fez com Judas,
Ora advertindo e restaurando, como o fez com Pedro…
Ele deu a sua vida…
Um olhar voltado para as nossas dores,
Para tantas mazelas de pobres pecadores…
E nós, que lhe damos enfim?

Ele deu a sua vida…
A voz serena e clara,
Replena de poder e de revelação,
Voz terna, para acalmar aflitos e inquietos,
Voz firme, para convidar os indecisos,
Voz suave, para aliviar os oprimidos,
Voz leal, para atingir os infelizes,
Voz segura, para libertar os cativos,
Voz confiante, para dar garantias da eternidade!
Ele deu a vida por nós…
A voz que tudo disse: as vibrações da esperança,
Os deslumbres de glória, os ensinos de Deus , As venturas do céu , os deleites sem par ,
As alegrias sem fim e os gozos e t e r n a i s! …

Ele deu a sua vida por nós…
E nós, o que lhe damos, irmãos?

Ele deu a sua vida por nós…
Na humildade da manjedoura,
Na fuga do Egito,
Na singeleza de Nazaré,
Na tentação do deserto,
Nos caminhos da Palestina,
Nas regiões de Tiro e de Sidon,
No Mar da Galiléia,
Nas terras de Gadara,
Nas praias de Genezareth,
No solar de Betânia,
Nas alturas do monte Tabor,
Na tranqüilidade do Horto das Oliveiras…

Ele deu a vida por nós…
Nas canseiras e enfados
De não ter onde reclinar a cabeça,
No suor do Gethsêmani,
Na agonia do Calvário,
No vitupério da Cruz,
Na vergonha do Monte da Caveira.

Ele deu a vida por nós…
Sem restrições e sem adiamentos,
Sem reservas quaisquer,
Para remir e salvar e para dar garantias!
E nós, que lhe damos nestes dias?
O mundo é que recebe as nossas atenções?
O mundo é que recebe todo o nosso amor?
O mundo é que recebe as nossas energias?

Silêncio…
Aí está toda a verdade?
Oh! tragédia cruel!
Oh! ferina ingratidão!
Oh! triste compensar!
Se Ele deu a vida, o tudo, a perfeição,
Se por nós nasceu, viveu, morreu e fez ressurreição,
Que faremos então?
Curvemo-nos em prece humilde, e arrependidos,
Banhados no chorar, sinceros, convertidos,
Prometamos de novo real consagração
A quem nos libertou das garras do pecado,
A quem nos redimiu e fez-nos transformados!

Jesus deu a vida por nós…
Resolvamos então
Viver para o servir, viver para o amar ,
Até que o bom Senhor resolva nos chamar!

Ele deu a vida por nós…
E nós, o que lhe damos?
Submissos, fiéis , humildes , dedicados ,
Deixando para trás o mundo e seu valor
Consagremos a Cristo todo o nosso amor!

Blog no WordPress.com.